Vila-franquense vai atravessar Canal da Mancha para ajudar 172 crianças

Gaibéu
Seguir

Gaibéu

O Gaibéu é um filho ilegítimo.
Nasceu do amor à escrita, ao jornalismo e à cultura das gentes e da terra.
Gaibéu
Seguir
Atravessar o Canal da Mancha a nado é o próximo desafio da portuguesa Maria da Conceição

Maria da Conceição, a fundadora da Fundação Maria Cristina, qualificou-se para o desafio que visa a angariação de fundos para a sua Fundação, atravessando a nado o Canal da Mancha já no próximo dia 27 de Agosto.

A qualificação para a árdua prova foi conseguida após Maria ter nadado durante seis horas em águas abertas a uma temperatura de cerca de 15ºC.

Maria da Conceição treina para a travessia do Canal da Mancha (fotografia de Katrin Winter)
Maria da Conceição treina para a travessia do Canal da Mancha (fotografia de Katrin Winter)

O objectivo da realização desta prova é angariar fundos que permitam à Fundação Maria Cristina assegurar a educação e formação de 172 crianças, quebrando, assim, o ciclo de pobreza em que nasceram. Maria da Conceição sublinha: “Eu não sou uma atleta. Aprendi a nadar no ano passado, mas como uma mãe destas crianças, não há nada que eu não faça por elas”.

Veja no vídeo abaixo em que consiste o desafio de atravessar o Canal da Mancha a nado.

(legendado em inglês)

Para se preparar para o desafio de natação, um dos mais duros do mundo, Maria da Conceição tem treinado, nos últimos dois meses, na ilha de Jersey, no Reino Unido.

No dia 27 de Agosto, irá nadar (se as condições meteorológicas o permitirem) em temperaturas da água que rondam os 15ºC – 18ºC, sem fato de mergulho, de Inglaterra ao norte de França, percorrendo cerca de 34 km.

A travessia do Canal da Mancha pode durar 27 horas ou mais, correndo o risco de hipotermia, além de poder ser picada por medusas ou de ter de lutar contra correntes marítimas.

A prova é dura, mas não desanima Maria que pretende conseguir angariar 140 mil libras (166 mil euros) para a Fundação que nasceu há 11 anos e tem abraçado vários projectos no combate à pobreza dos bairros desfavorecidos de Dhaka, a capital do Bangladesh, com a criação dos seguintes programas:

  • Ensino Fundamental e Superior
  • Educação para Adultos
  • Ajuda Familiar
  • Ajuda nos Cuidados de Saúde

Com estes  programas a Fundação já ajudou cerca de 600 crianças e adultos do Médio Oriente a frequentar a escola e a ter acesso a trabalho digno.

 

Quem é Maria da Conceição

Maria da Conceição tem 39 anos, é de Vila Franca de Xira, mas viveu em vários locais do país e mundo.

Aos dois anos, viu-se separada da mãe que adoeceu.

Maria Cristina Matos, angolana que então trabalhava nas limpezas e tinha seis filhos para alimentar, ofereceu-se para cuidar de Maria até a mãe melhorar. Como a mãe nunca recuperou, Maria Cristina continuou a cuidar de Maria como se fosse sua filha. O lema da mãe adoptiva que, apesar das dificuldades, conseguiu criar mais esta criança era que “quem alimenta seis, alimenta sete”. Este lema levou a filha até ao Bangladesh e fê-la acreditar que podia mudar a vida de muita gente.

 

Como nasceu a Fundação Maria Cristina 

Em 2005, ao visitar um bairro de lata e um hospital em Dhaka, durante uma folga numa escala de um voo da “Emirates Airline”, na qual trabalhava como hospedeira de bordo, Maria ficou tão sensibilizada com as dificuldades das pessoas que lá encontrou que cancelou os seus planos de férias para ficar no bairro de lata a começar o que mais tarde viria a ser a Fundação Maria Cristina.

Conheça, no vídeo abaixo, a história desta portuguesa de armas pela voz da própria.

(legendado em inglês)

Foi em 2010 que Maria se decidiu, pela primeira vez, a recorrer a provas de grande intensidade física para divulgar a sua causa de forma a angariar fundos para manter o projecto. Começou por escalar o Kilimanjaro, fez uma caminhada até ao Pólo Norte e correu uma maratona em cada um dos 7 Emirados, que formam os Emirados Árabes Unidos, em 7 dias. Em 2013, tornou-se na primeira mulher portuguesa a escalar o Monte Evereste.

Desde que atingiu o topo do Evereste, já fez inúmeras maratonas e ultramaratonas conquistando 6 recordes do Guinness.

Para saber mais sobre a história desta portuguesa e como chegou ao topo ao Evereste há três anos, o livro editado em 2015 pela Bertrand Editora, “Uma Mulher no Topo do Mundo”, conta o percurso da vida atribulada, cheia de encontros e desencontros de Maria da Conceição.

A voluntária da Fundação Maria Cristina, Mafalda Ramos, residente em Vila Franca de Xira, diz que “comprar este livro é uma grande ajuda já que a receita reverte a 100% para ajudar a continuidade do trabalho de Maria da Conceição”.

O livro está disponível também em inglês.

A campanha de angariação de fundos para apoiar o futuro das 172 crianças em Dhaka poderá ser consultada AQUI.

Fontes: Fundação Maria Cristina e Audiopress Portugal
Fotografia de destaque:Loretta Cox
*artigo editado às 15h28

Comentários

Comentários

Gaibéu

O Gaibéu é um filho ilegítimo. Nasceu do amor à escrita, ao jornalismo e à cultura das gentes e da terra.

One thought on “Vila-franquense vai atravessar Canal da Mancha para ajudar 172 crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

13 + 14 =