Pequenos-almoços e energia

Maria João Martinho
Seguir

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural.
Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar.
A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto "Cozinha com Histórias", a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.
Maria João Martinho
Seguir

Sou uma apaixonada por comida! Sempre fui, desde a mais tenra idade!

Mesmo quando estou à mesa a comer, em família ou com amigos, falo de comida! Porque as vidas passadas à mesa fazem muito sentido!

Uma doença crónica no intestino, diagnosticada há cerca de dez anos, veio mudar muito a minha forma de estar na vida, e aqui se inclui a minha forma de olhar para a comida e de me alimentar. Mas não alterou em nada a minha paixão!

Desde então, tento perceber de que forma poderei tirar prazer da comida e simultaneamente cuidar do meu organismo, alimentando-o o melhor possível.

Sinto que o caminho que sigo é progressivo e muito, muito positivo e acabo por desejar partilhar esta minha experiência de vida com os outros!

Porque as vidas à mesa continuam a fazer todo o sentido!

Tenho tanto para vos contar…que nem sei por onde começar.

 

PEQUENOS-ALMOÇOS E ENERGIA

granola3_1
Granola servida com iogurte natural

A vida agitada, vivida ao segundo, com que nos deparamos no tempo presente, parece às vezes não dar margem para garantirmos a prática de alguns hábitos saudáveis e indispensáveis do dia-a-dia: é o caso da toma do pequeno-almoço, preferencialmente em casa, sem que tenha decorrido demasiado tempo desde que nos levantámos.

Não é fácil disciplinarmo-nos, criando essa rotina de forma inflexível, mas vale a pena fazer por isso! Na verdade, passamos demasiado tempo a dormir e, por conseguinte, sem comer, pelo que é indispensável fornecer desde logo ao organismo «combustível» para encararmos o dia com outra energia e disposição (e acreditem que funciona mesmo).

Temos de ter atenção, no entanto, ao que vamos comer: o pequeno-almoço é de facto a refeição mais importante do dia, e como tal, devemos privilegiar alimentos cujos nutrientes nos vão fornecer energia duradoura, preferencialmente sem açúcares adicionados que inversamente nos proporcionam energia rápida, sem qualquer benefício para a saúde.

O pequeno-almoço dos crescidos cá de casa, durante a semana, é constituído por granola caseira, acompanhada de iogurte natural, também caseiro, e pedaços de fruta, enriquecidos (ou não) por um adoçante natural.

Preparo sempre a mesma base de granola – faço-a ao domingo, numa quantidade que me dê para toda a semana seguinte – e vou variando no fruto seco que utilizo (prefiro as nozes e as amêndoas, por serem das opções mais saudáveis, que combino com tâmaras ou arandos secos), cujo ligamento é feito com um adoçante natural (xarope de acer, de agave, de arroz ou mel). À excepção do mel – que compro aqui, porque acho que faz todo o sentido adquiri-lo diretamente ao produtor – os outros adoçantes a que me refiro são mais difíceis de adquirir. Compro-os, regra geral, em lojas especializadas de comida saudável ou no Aldi.

No que respeita aos iogurtes, faço-os naturais, sem aromas ou polpa de fruta, porque posso sempre adicionar qualquer um deles na hora de comer. Uso a Bimby para aquecer e misturar os ingredientes e depois a iogurteira para a fermentação propriamente dita.

De manhã, misturo a granola (a mim basta-me três colheres de sopa para me sentir saciada) a um iogurte natural caseiro e finalizo com um pouco de adoçante natural e uma peça de fruta em pedaços, sumarenta de preferência (kiwis, morangos, framboesas ou mirtilos são perfeitos). É delicioso e tão saudável!

Com esta sugestão que aqui vos deixo, garantimos que o dia nos correrá da melhor forma, ou que, mesmo que ele não nos corra tão bem, nós teremos a energia suficiente para o enfrentarmos da melhor forma!

 

Granola

(receita adaptada do blog seismaisdois)

Ingredientes

| 300 g flocos de aveia integrais (uso dos mais grossos)

| 50 g amêndoas ou nozes (ou outro fruto seco ou mesmo uma mistura de vários frutos) picados grosseiramente

| 20 g sementes de sésamo brancas

| 20 g sementes de girassol ou abóbora (ou ambas)

| 20 g coco ralado

| 50 g de arandos ou tâmaras secos, picados grosseiramente

| 0,5 dl mel, xarope de acer, de agave ou de arroz

Preparação

  1. Pré-aquecer o forno a 160º C.
  2. Misturar todos os ingredientes secos numa tijela grande.
  3. Envolver na mistura o mel e distribuir num tabuleiro para ir ao forno.
  4. Levar ao forno durante cerca de 20 minutos, mexendo a granola de 5 em 5 minutos, para a torrar uniformemente.
  5. Retirar do forno, deixar arrefecer por completo, juntar os arandos ou as tâmaras e guardar em frasco(s) de vidro tapado(s).

 

Iogurte Caseiro

(receita adaptada do blog Experiencias na Cozinha)

Ingredientes

| 1 litro leite meio-gordo

| 1 iogurte natural

| 2 colheres de sopa de leite em pó

Preparação

  1. Amornar o leite (se usar a Bimby, coloque na temperatura 50º, velocidade 2, durante 3 minutos).
  2. Juntar o leite em pó e depois o iogurte natural e misturar bem, sem deixar ferver (na Bimby, temperatura 50º, velocidade 2, 3 minutos).
  3. Verter a mistura nos frascos da iogurteira, cobrir com a tampa da iogurteira (não usar as tampas dos frascos nesta fase), ligar o aparelho e deixar fermentar durante cerca de 6 horas (na minha opinião, não é necessário aguardar pela fermentação da mistura durante 12 horas, como a maioria dos manuais de instruções das iogurteiras sugere).
  4. Quando os iogurtes estiverem prontos, tapá-los com as respetivas tampas e guardar no frigorífico até à sua utilização.

NOTA – Uso, sempre que possível, um dos iogurtes caseiros para confeccionar a próxima leva.

 

Um destes dias, falo-vos sobre os pequenos-almoços que se fazem cá por casa ao fim-de-semana, quando há mais tempo e inspiração!

Bom fim-de-semana e bons cozinhados!

Comentários

Comentários

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural. Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar. A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto "Cozinha com Histórias", a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.

2 thoughts on “Pequenos-almoços e energia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!