Páscoa: Celebrar à Mesa

Maria João Martinho
Seguir

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural.
Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar.
A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto "Cozinha com Histórias", a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.
Maria João Martinho
Seguir

Porque estamos quase, quase no fim-de-semana da Páscoa, achei interessante dedicar o artigo desta quinzena à sua temática, apresentando-vos duas sugestões para presentearem os vossos familiares ou amigos especiais.

A Páscoa é, independentemente de crenças, um momento de celebração, desde tempos muito remotos, tendo como tal uma carga simbólica muito rica associada ao momento.

Porque são sempre inúmeros os textos que se escrevem, a propósito deste período, ligados à Paixão e Ressureição de Cristo, optei por um outro tipo de abordagem que se relaciona mais diretamente com as receitas que aqui vos deixo e que remete para outras simbologias da Páscoa.

A comercialização dos ovos de chocolate que invadem as zonas comerciais nesta época e que nos parecem à partida constituir comportamentos absolutamente atuais, bebem no entanto a inspiração de práticas ancestrais:

Tal como o momento da Ressurreição de Cristo tem um significado de esperança para o crente, o ovo representa em si um símbolo de nascimento e de vida. E o ato de presentear será um costume antigo, praticado, segundo alguns historiadores, no Antigo Egipto, na Pérsia e entre algumas tribos germânicas.

Com a chegada da Primavera, coziam-se os ovos (nesta altura os de galinha, porque estávamos ainda muito longe de conhecer o gosto extraordinário do chocolate produzido a partir do cacau vindo das regiões da América Central), sendo estes pintados com motivos relacionados com o tema das colheitas e depois trocados entre as pessoas, com o intuito de providenciar a fertilidade dos solos agrícolas.

A passagem para o uso do ovo de chocolate é alvo de diversas teorias: há quem defenda que foram os mestres chocolateiros em França que, já no século XIX, o inventaram. Outros apontam a sua criação com a Inglaterra como cenário, por ocasião da revolução da indústria do chocolate que ali se fez sentir.

Pois bem, porque nesta época nos é permitido algum excesso, mas não perdendo de vista que podemos saciar os nossos apetites mais gulosos com recurso a ingredientes mais saudáveis, hoje proponho-vos duas ideias que agradarão certamente a todos, mas em particular às crianças, porque são de um colorido entusiasmante!

Sugiro-vos, assim, por um lado, uns Mini Folares, feitos com ovos de codorniz que são previamente tingidos com corantes alimentares; por outro, deixo-vos a sugestão de uns  Ninhos de Chocolate, cuja confecção faz uso de flocos de cereais integrais e chocolate negro, duas opções francamente saudáveis, como já vos explicarei mais adiante.

 

Mini Folares_1
Os ovos tingidos conferem um agradável colorido a estes mini folares, tornando-os apetecíveis a qualquer criança

Mini Folares

(receita adaptada da revista Bimby – Momentos de Partilha, Março 2013)

Ingredientes para os ovos tingidos

| Água para cozer os ovos + 1,5 l água para os tingir

| 6 ovos de codorniz

| 3 colheres de sopa de vinagre de vinho branco ou de sidra

| 15-20 gotas de corante alimentar vermelho

| 15-20 gotas de corante alimentar azul

| 15-20 gotas de corante alimentar verde (ou outros que prefiram)

 

Preparação

  1. Cozer os ovos durante cerca de 10 minutos. Retirar e reservar sem descascar.
  2. Misturar cada um dos corantes em taças com 0,5 l de água, juntamente com a colher do vinagre.
  3. Mergulhar dois os ovos em cada taça, deixar tingir durante cerca de 5 minutos, retirar e deixar secar.

 

Ingredientes para os folares

| 3dl leite

| 25 g fermento de padeiro fresco (ou em alternativa um pacote de fermento de padeiro seco)

| 80 g manteiga

| 2 ovos

| 100 g açúcar

| 700 g farinha tipo 65 + q.b. para polvilhar

| ½ colher chá sal

| 2 gemas ovo para pincelar

| Drageias coloridas para decorar

 

Preparação

  1. Aquecer num tacho em lume brando o leite, o fermento e a manteiga, durante cerca de 2 minutos.
  2. Retirar do lume, juntar os ovos e o açúcar e misturar bem.
  3. Adicionar a farinha e o sal e amasse durante alguns minutos. Deixar levedar durante 40 minutos em local morno.
  4. Depois de levedar, colocar a massa numa superfície polvilhada com farinha minutos, e dividir em 12 partes. Forme rolos com cerca de 30 centímetros de comprimento, una a ponta de dois deles, entrelaçando e unindo as extremidades. Repita com os restantes rolos.
  5. Colocar os folares num tabuleiro de forno sobre papel vegetal de forno. Dispor no centro de cada folar um ovo tingido, pincele com gema de ovo e salpique com as drageias.
  6. Deixar os folares duplicarem o seu volume e levar a forno pré-aquecido a 180ºC durante 25 minutos ou até dourarem.
Ninhos Chocolate_1
Deliciosamente saudáveis, estes ninhos são muito agradáveis porque se tornam crocantes quando os trincamos

Ninhos de Chocolate

(receita adaptada da revista Bimby – Momentos de Partilha, Março 2013)

Ingredientes

| 200 g chocolate negro (com um teor mínimo de 70% de cacau)

| 15 g mell

| 45 g manteiga

| 60 g flocos integrais de trigo e/ou arroz

| 30 ovinhos de chocolate

Preparação

  1. Ralar o chocolate, coloque num tacho, junte o mel e a manteiga e aqueça até derreter.
  2. Retirar do lume, adicionar os flocos e envolver com a ajuda de uma espátula.
  3. Forrar um tabuleiro de queques/muffins com formas de papel e encha com os flocos de chocolate.
  4. Coloque 3 ovinhos sobre cada ninho e leve ao frigorífico até o chocolate secar.

 

NOTAS:

Flocos de cereais – Prefira, sempre que possível os cereais integrais, porque são mais ricos em fibra, mas tenha atenção para não adquirir produtos demasiado açucarados.

Chocolate negro – Prefira os chocolates com maior percentagem de cacau – num mínimo de 74%. Estes chocolates, ao contrário dos outros, não têm como  ingrediente dominante o açúcar (podemos conferir estes dados se nos detivermos nos ingredientes que estão indicados na respectiva embalagem).

Aventurem-se e experimentem estas delícias mais saudáveis!

Bom fim-de-semana, boa Páscoa e bons cozinhados!

Comentários

Comentários

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural.
Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar.
A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto “Cozinha com Histórias”, a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 × 1 =