Malta: Das Cruzadas a pilar do turismo no Mediterrâneo

Francisco Brigham
Seguir

Francisco Brigham

Francisco trabalha como Designer Gráfico numa revista de viagens (Travel & Safaris).
Viajar é a sua paixão! Por isso considera-se um viajante em busca de imagens, sabores e outras curiosidades por todo o Mundo.

Escreve também aqui: "Francisco's Journey"
Francisco Brigham
Seguir

Latest posts by Francisco Brigham (see all)

Os contrastes são muitos nesta viagem e a chegada à ilha de Malta surpreende-nos. A chegada ao seu porto é seguramente uma das mais impressionantes do mundo.

Vista à chegada do cruzeiro ao porto de La Valetta
Vista à chegada do cruzeiro ao porto de La Valetta
Forte simbologia presente na ilha
Forte simbologia presente na ilha

A cruz de Malta é o símbolo associado à Ordem Cavaleiros de Malta (Knights Hospitaller). A cruz de oito pontas tem a forma de quatro “Vs”, cada um unindo os outros no seu vértice, deixando as outras duas pontas expandir-se de forma simétrica. O seu design é baseado em cruzes usadas desde a Primeira Cruzada.

Interior do Palácio de Malta
Interior do Palácio de Malta
Armadura dos famosos cavaleiros de Malta
Armadura dos famosos cavaleiros de Malta

Quando, em meados do século XVI, os cavaleiros estiveram em Malta, o design, actualmente conhecido como a “Cruz de Malta”, foi associado à ilha e a cruz de Malta foi cunhada em duas mil moedas na velha moeda de Malta. Actualmente, a cruz de Malta está impressa desde 2008 na parte de trás das moedas de um e dois euros.

É notória a grande fortificação de toda a ilha, fulcral para impedir várias invasões ao longo dos séculos
É notória a grande fortificação de toda a ilha, fulcral para impedir várias invasões ao longo dos séculos

Os impressionantes bastiões de Valetta e os jardins de Upper Barraca são imperdíveis de visitar, tal como o interior da Co-Catedral de São João, onde se pode admirar a obra-prima de Caravaggio; é também um gosto visitar o interior do Palácio Magistral, com as suas soberbas tapeçarias e os seus camarotes.

Co-Catedral de São João, com a referida obra de Caravaggio
Co-Catedral de São João, com a referida obra de Caravaggio

Nas estreitas ruas da capital de Malta encontram-se um sem número de lojas e artesãos, executando trabalhos em prata a que dificilmente conseguimos resistir, pois há verdadeiras obras de arte a preços apetecíveis.

O frenesim nas ruas de La Valetta
O frenesim nas ruas de La Valetta

Passando através de típicas aldeias maltesas, em Cirkewwa pode-se apanhar o ferry público para Gozo, a ilha irmã de Malta. A viagem dura cerca de trinta minutos e justifica-se plenamente. Chegando ao porto de Mgarr e prosseguindo na direcção dos Templos de Ggantija em Xaghra, temos um feliz encontro com esses monumentos da cultura pré-histórica.

É bem visível a quantidade de cruzeiros que visitam esta ilha
É bem visível a quantidade de cruzeiros que visitam esta ilha

[the_ad id=”10436″]

Pub

Comentários

Comentários

Francisco Brigham

Francisco trabalha como Designer Gráfico numa revista de viagens (Travel & Safaris). Viajar é a sua paixão! Por isso considera-se um viajante em busca de imagens, sabores e outras curiosidades por todo o Mundo. Escreve também aqui: "Francisco's Journey"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

seventeen − 16 =