Férias de Verão: Entre Ceviches e Sangrias

Maria João Martinho
Seguir

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural.
Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar.
A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto "Cozinha com Histórias", a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.
Maria João Martinho
Seguir

Nesta quinzena continuo na senda do salmão, peixe que adoro, sobretudo pelas múltiplas formas que existem de o consumir: cru, grelhado, assado, ou simplesmente “fermentado” pelo sumo de um citrino.

O tempo quente, por outro lado, continua a dar vontade de alguma moderação alimentar e de procura de ementas refrescantes.

Por essa razão, pensei apresentar-vos uma sugestão que me foi dada a conhecer por uma colega de trabalho com quem partilho, entre outras coisas, o gosto por “comer e beber bem” e também o prazer de cozinhar (acto que consideramos ambas uma forma muito agradável de aproveitarmos o tempo livre e de simultaneamente “esvaziarmos a cabeça dos nossos problemas e stresses”)!

A sugestão dá pelo nome de ceviche (ou cebiche, ou seviche; parece não haver grandes certezas quanto ao nome mais adequado, pelo que todas serão válidas.

A ceviche consiste num prato feito com peixe, o qual é marinado num sumo de citrino, tal como já aqui fiz menção.

Imagem 2
O peixe sofre aqui um processo de fermentação que lhe permite “cozinhar” na sua própria marinada, durante algumas horas

Originário do Perú, onde é considerado um prato nacional, a primeira descrição escrita da ceviche remonta ao século XVIII. Terá sido, já durante o século XX, aproveitado pelos franceses e actualmente são inúmeros os chefs e restaurantes com cozinha de autor que se dedicam à sua confecção. Em 2004, foi classificado como património cultural no seu país de origem.

Pela parte que me toca, simplesmente adoro! Adoro a combinação do peixe envolto no gosto cítrico da lima, adoro a combinação com o sabor adocicado do pimento vermelho e da cebola roxa, adoro o doce refrescante da manga, adoro o gosto ácido da maçã Granny Smith; adoro, por fim, a sensação indescritível do picante da malagueta combinado com tudo isto! É um deleite para o palato!

Imagem 3
A combinação de todos os sabores presentes nos ingredientes deste prato é surpreendentemente boa! Acreditem!

Podem pensar neste prato como entrada, se fizerem uma refeição especial para amigos ou simplesmente fazê-lo como prato principal num dia de Verão quente, acompanhado de um belo vinho verde ou branco, ou de uma sangria de rosé com morangos e lima, cuja receita também aqui vos deixo, desejando que as possam experimentar nas vossas férias de Verão!

Imagem 4
O molho de soja japonês pode servir de acompanhamento deste prato, um pouco à imagem dos pratos de sashimi da gastronomia japonesa

Ceviche de Salmão com tortilhas chips

 

Ingredientes

|2 lombinhos salmão selvagem

|sumo de 2 limas

|raspa de ½ lima

|gengibre fresco ralado

|Flor de sal

|Cebola roxa

| ½  pimento vermelho

| ½  maçã granny smith com casca

| ½ manga

|coentros picados

|malagueta

|tortilhas chips

 

Preparação

  1. Cortar os lombinhos de salmão em pequenos pedaços e juntar os quatro ingredientes que se seguem na lista de ingredientes. Tapar a marinada com película aderente e levar ao frigorífico pelo menos 30 minutos.
  2. Picar a cebola, cortar o pimento em cubinhos, a maçã em tiras (também finas) e manga em cubos e envolver tudo.
  3. Juntar a malagueta às rodelas e os coentros.
  4. Por fim, juntar o peixe e envolver cuidadosamente.
  5. Acompanhar com tortilhas chips.
Imagem 5
Esta é, sem dúvida, a minha sangria preferida e faz sempre um enorme sucesso sempre que a fazemos em festas de amigos

Sangria de rosé com morangos e lima

(receita adaptada do blog Narwen’s Cuisine)

Ingredientes

|Xarope de açúcar (300 g açúcar + 300 ml água)

|1 garrafa de vinho rosé Contemporal)

|250 g morangos

|4 limas

|1 cálice vodka

|330 ml de SevenUp

|Gelo

Preparação

  1. Fazer o xarope com alguma antecedência: Levar ao lume 150 ml de água e o açúcar até que este se dissolva. Retirar do lume e adicionar a restante água. Arrefecer no frigorífico.
  2. Lavar e cortar os morangos em rodelas. Reservar.
  3. Lavar e esfregar as limas e laminá-las em rodelas ou em meias-luas.
  4. Colocar num jarro grande (2 litros) o xarope de açúcar fresquinho, a fruta, a vodka e o vinho. Mexer delicadamente.
  5. Antes de servir, acrescentar a SevenUp e o gelo. Mexer bem e servir fresco.

 

Boas Férias e bons cozinhados!

[the_ad id=”10444″]

Pub

Comentários

Comentários

Maria João Martinho

Historiadora da Arte de formação, trabalha desde 1999 na área do Património Cultural. Adora cozinhar desde muito jovem, nutrindo um grande entusiasmo pela investigação de gastronomias internacionais, pela cozinha vegetariana e pela saúde baseada na prática alimentar. A par da sua profissão, encontra-se actualmente envolvida em alguns projectos na vertente gastronómica, designadamente o projecto "Cozinha com Histórias", a decorrer no Palácio do Sobralinho, onde concilia a história dos alimentos à confecção de menus de degustação temáticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

five × 1 =